Correção de Cicatriz

É possível corrigir cicatrizes com cirurgia plástica e o objetivo principal desse tipo de procedimento é reparar alterações na cicatrização de uma ferida em qualquer parte do corpo, seja o motivo da marca um corte, queimadura ou até mesmo cirurgias prévias. A correção de cicatriz busca melhorar a condição ou a aparência da marca, de modo que fique mais uniforme ao seu tom de pele e a textura circundante.

As cicatrizes são sinais visíveis que permanecem após uma ferida se curar, sendo resultado inevitável de lesão ou cirurgia, e seu desenvolvimento pode ser imprevisível. A má cicatrização pode contribuir para o surgimento de marcas desfavoráveis na pele. Mesmo uma ferida que cicatriza bem pode resultar em precariedade em sua aparência.

Apesar do procedimento proporcionar resultado estético mais agradável ou melhorar uma cicatriz que tenha tido má cicatrização, uma marca assim não pode ser completamente apagada. O tipo de cicatriz que você tem vai determinar as técnicas adequadas que o cirurgião plástico irá usar para suavizar a região.

Técnicas de Correção de Cicatriz

Existem várias técnicas para corrigir cirurgicamente uma cicatriz, e o que vai determinar qual desses procedimentos será utilizado é o tipo, tamanho, localização e gravidade da cicatriz. É o cirurgião que faz a avaliação e é ele também quem determina a melhor técnica a ser utilizada, levando em consideração o histórico de cicatrização da paciente. Veja abaixo quais são as técnicas de correção de cicatriz.

  • Z-plastia: técnica mais comum para correção de cicatrizes.
  • Meia z-plastia: escolhida quando a pele de um lado é mais elástica e do outro, mais firme.
  • Z-plastia em quatro retalhos (retalho de Limberg): funciona melhor para casos de liberação de contraturas cicatriciais graves que “amarram” a movimentação normal. Também é indicada para pessoas que sofreram queimaduras graves.
  • Z-plastia planimétrica: como o nome já diz, é feita em regiões planas e conta com o auxílio de enxertos de pele.
  • S-plastia: melhor técnica para cicatrizes em formato oval.
  • W-plastia: funciona bem para corrigir cicatrizes que são lineares, mas irregulares.
  • Linhas geométricas quebradas: transforma uma cicatriz linear longa em uma irregular de formato aleatório para que fique menos perceptível.
  • V-Y e avanço tipo V-Y: melhor técnica para cicatrizes pequenas.
  • Subcisão e preenchimento: ideal para marcas retraídas e fundas, que demandam preenchimento com gordura ou então ácido hialurônico.
  • Dermoabrasão: técnica mais antiga, que pode ser feita de forma manual ou então com o uso de máquinas.

Normalmente uma única cirurgia é capaz de promover resultados satisfatórios, mas existem casos mais complicados em que é recomendado uma combinação de tratamentos.

Indicações da Correção de Cicatriz

Nem toda cicatriz deve ser corrigida através de uma intervenção cirúrgica. Existem outros tratamentos, menos invasivos, que podem ser indicados pelo médico e que são suficientes para amenizar a aparência da marca. Veja quais são os tipos de cicatriz que normalmente demandam correção cirúrgica:

  • Quelóide: cicatriz endurecida, que cresce mais do que o normal devido ao excesso de produção de colágeno. Pode coçar e ficar vermelha
  • Hipertrófica: cicatriz grossa, também gerada pela produção excessiva de colágeno. Pode ser mais escura ou mais clara do que a pele ao redor
  • Retraída ou contratura: causa aproximação da pele ao redor, comum em abdominoplastias, cesarianas e queimaduras. Chega a dificultar a movimentação da pele e das articulações próximas
  • Atrófica: cicatriz que fica mais profunda do que a pele ao redor, comum em ferimentos e marcas de acne
  • Discrômica: altera a cor da pele, sendo mais clara ou mais escura do que a pele em volta

É importante dizer que a correção cirúrgica de uma cicatriz pode melhorar a aparência e até uniformizar a pele, mas não garante o desaparecimento completo da marca. Os resultados variam muito de acordo com a pele da paciente.

Riscos

Como qualquer cirurgia plástica, a correção de cicatriz também tem seus riscos. Veja os principais:

  • Infecção
  • Inchaço
  • Hematomas
  • Riscos relativos à anestesia
  • Má cicatrização

É importante deixar claro que a correção de cicatriz é sim uma cirurgia que visa a melhora estética de uma marca que você tem, mas é impossível garantir que a cicatrização do procedimento será perfeita. Depende muito da qualidade da pele, do processo de cicatrização do organismo e também de alinhar as suas expectativas à realidade. Converse sempre com o seu cirurgião para que ele tire todas as suas dúvidas.

Pré-operatório da correção de cicatriz

Por ser um procedimento relativamente simples, dependendo de como será a cirurgia e a anestesia, nem jejum vai ser necessário. Mesmo assim, alguns cuidados precisam ser tomados.

  • Tire todas as suas dúvidas na consulta de avaliação. Quanto mais você souber, melhor
  • Seja sincera na hora de responder às perguntas do cirurgião
  • Faça todos os exames que o cirurgião solicitar (eles servem para avaliar a sua condição geral de saúde e se o seu corpo está apto para passar pelo trauma da cirurgia)
  • Informe o médico sobre todos os medicamentos que você faz uso. Pode ser que seja necessário suspender ou alterar a dose dependendo do tipo de remédio
  • Se você apresentar sintomas de gripe ou resfriado às vésperas da cirurgia, informe o médico imediatamente – pode ser necessário um adiamento
  • Se você for fumante, vai precisar interromper o hábito pelo menos 30 dias antes do procedimento e só vai poder retomar 30 dias depois. São pelo menos 60 dias sem tabagismo

Pós-operatório

O pós-operatório da correção de cicatriz é quiçá a parte mais importante do tratamento. Ela demora cerca de 1 ano inteiro para se curar completamente. Durante esse tempo, siga as recomendações do cirurgião e da equipe da Realize para que o processo de cicatrização seja tranquilo e dê bons resultados.

Compareça às consultas de retorno e faça um acompanhamento da evolução da cicatriz. Quanto mais à risca você seguir as recomendações, mais provável o sucesso da cirurgia.

A fase inicial de cicatrização pode apresentar inchaço localizado, descoloração ou desconforto e pode levar de 1 a 2 semanas. A cicatrização continuará por várias semanas. Com a dermoabrasão, o peeling químico, ou resurfacing a laser, as condições nas áreas tratadas serão as mesmas, além de sensibilidade em geral.

Se você sentir falta de ar, dor no peito ou batimentos cardíacos anormais, procure atendimento médico imediatamente. Se algumas destas complicações ocorrerem, você pode precisar de internação e de tratamento adicional. Na finalização do procedimento, bandagens ou curativos podem ser aplicados no local da cirurgia para mantê-lo limpo.

As incisões cirúrgicas não devem ficar sujeitas à força excessiva, inchaço, escoriação ou movimento durante o período de cicatrização e é fundamental evitar exposição ao sol.

Resultados

Os resultados finais da cirurgia de correção de cicatriz podem levar vários meses e até anos para se tornarem aparentes. A prática da medicina e da cirurgia não é uma ciência exata. Apesar de serem esperados bons resultados, não há garantia. Em algumas situações, pode não ser possível atingir ótimos resultados com um único procedimento cirúrgico, sendo necessária uma nova cirurgia.

IMPORTANTE: A decisão de se submeter à cirurgia é pessoal e é você quem terá de decidir se os benefícios atingirão os seus objetivos e se os riscos e complicações potenciais da cirurgia são aceitáveis. O cirurgião plástico ou assistentes vão explicar, em detalhes, os riscos associados à cirurgia. Você deverá assinar o termo de consentimento para assegurar que compreendeu plenamente o procedimento ao qual vai se submeter e quaisquer riscos ou complicações potenciais.

Pensando também na sua segurança, apenas as consultas da Clínica Realize são feitas em clínicas. Todos e quaisquer procedimentos cirúrgicos são feitos apenas em hospitais qualificados.