Outubro Rosa e a importância do autocuidado o ano todo

Chega Outubro e o rosa toma conta das cidades, monumentos e redes sociais. Mais do que uma simples cor, há todo um movimento que ganha força a cada ano e ajuda na conscientização e prevenção ao câncer de mama, doença que mais acomete mulheres no mundo e é a quinta causa de morte por câncer em geral.

 

Afinal, o que é Outubro Rosa e como surgiu?

Outubro Rosa é importante porque faz com que as pessoas conscientizem sobre a necessidade de cuidarem de si mesmas e incentivar o diagnóstico precoce do câncer de mama. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 2,1 milhões de novos casos são detectado todos os anos no mundo inteiro.

O símbolo do laço cor de rosa surgiu durante a primeira “corrida pela Cura” realizada pela Fundação Susan G. Komen for the Cure em Nova York no ano de 1990. No Brasil, a campanha deu seu primeiro sinal em outubro de 2002, quando o Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, foi iluminado com luzes cor de rosa. Somente em 2008 a movimentação ganhou força em muitas cidades brasileiras, dando engajamento a campanha, promovendo corridas e assim como no resto do mundo, monumentos passaram a ficar iluminados com a cor rosa durante a noite.

O câncer de mama

O câncer de mama é um tumor maligno causado pela multiplicação desordenada de células da mama e é a doença que mais acomete mulheres no mundo, mas os homens não estão ilesos a isso, pois apesar das mamas masculinas não crescerem como nas mulheres, os homens também possuem glândulas mamárias e estão sujeitos à doença também, apesar de casos mais raros, o câncer de mama em homens representa 1% dos casos da doença.

No Brasil, também é a maior causa de mortes em mulheres (com exceção dos cânceres de pele não melanoma) e em 2020 são estimados 66.280 casos novos de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA). Este número se dá especialmente por causa da grande quantidade de diagnósticos tardios, ou seja, já com o câncer em estágio avançado.

Os sintomas

O câncer de mama apresenta alguns sintomas, como:

  • Caroço (nódulos). Muitas mulheres relatam que no autoexame sentem muitos nódulos nos seios, mas estamos falando de um específico, duro e indolor;

  • Alteração no bico do peito, seja na coloração ou no formato, pequenas feridas e secreção também são sinais de atenção;

  • Pequenos nódulos nas axilas ou pescoco, as conhecidas ínguas, pois o sistema linfático é afetado como um todo;

  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com a casca de laranja;

  • Saída espontânea de líquido de um dos mamilos.

A maior parte dos cânceres de mama é descoberto pelas próprias mulheres com o autoexame, mas isso não dispensa a necessidade de visitas regulares ao ginecologistas e a realização dos exames de rotina. Para mulheres entre 50 a 69 anos é recomendado que se faça mamografia a cada dois anos.

Há  fatores de risco, além do histórico familiar e idade, que podem ser:

  • Excesso de peso;

  • Má alimentação;

  • Sedentarismo;

  • Tabagismo;

  • Consumo de bebida alcoólica.

Prevenção e Tratamento

A prevenção será sempre o melhor remédio, não é mesmo? A prática de exercícios físicos, amamentação e baixo consumo de bebidas alcoólicas são considerados fatores essenciais para uma vida de qualidade e menor risco para a  saúde.

O tratamento vai depender muito da fase em que a doença se encontra e do tipo de tumor, nem sempre a mastopexia (retirada total ou parcial da mama) é indicada. Além da cirurgia para retirada do tumor, são recomendados outros tratamentos como, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica. Cada caso é um caso, cada corpo é um corpo, só um médico poderá dizer as opções ideais de tratamento.

Apesar de ser uma doença grave, a chance de cura aumenta com o diagnóstico precoce e é esta bandeira que a campanha do Outubro Rosa levanta, conscientizar as pessoas sobre a necessidade do autoexame.

Faça o autoexame!

O exame de mamas pode ser feito em frente ao espelho, deitada ou em pé. Separamos aqui algumas instruções para o autoexame:

  • Em frente ao espelho: se posicione em frente ao espelho e observe os dois seios, primeiramente com os braços caídos. Coloque as mãos no cintura fazendo força. Coloque as mãos atrás da cabeça e observe o tamanho, posição e formato do mamilo. Pressione levemente o mamilo e veja se há saída de secreção.

  • Deitada: Coloque uma toalha dobrada sob o ombro direito para examinar a mama direita, sinta a mama com movimentos circulares, fazendo leve pressão. Apalpe a metade externa da mama (de forma consistente) e depois as axilas. Inverta o procedimento para a mama esquerda.

  • Em pé (pode ser realizado durante o banho): Levante seu braço esquerdo e apoie-o sobre a cabeça, com a mão esticada, examine a mama esquerda. Divida o seio em faixas e análise devagar cada uma dessas faixas, use a ponta dos dedos (não use as unhas). Sinta a mama, faça movimentos circulares, de cima para baixo e repita os movimentos com a outra mama.

É hora de prevenir

Lembre-se que estar em dia com a saúde é um ato de amor-próprio, cuide-se e mobilize as pessoas ao seu redor a se cuidarem também. Assim como o câncer de mama, diversas outras doenças podem ser tratadas com mais eficiência quando são descobertas no início, então não adie sua próxima consulta e mantenha seus exames de rotina em dia.

Não perca tempo. Agende uma avaliação em uma de nossas unidades.

Gostou? Então compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email

Entre em contato e

Fale com uma consultora

Está com dúvidas?


Nossas consultoras entrarão em contato com  você o mais breve possivel.